Nossa História




A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE DANÇA EM CADEIRA DE RODAS

A Confederação Brasileira de Dança em Cadeira de Rodas (CBDCR) tem como principal objetivo difundir, promover e incentivar essa modalidade de dança no Brasil. Iniciou suas atividades em 06 de novembro de 2001 como resultado das reflexões do I Simpósio Internacional , onde foi ministrado um curso desta modalidade na Universidade de Campinas (Unicamp) pelo Profº Herbert Hausch – Técnico da Equipe Alemã, realizado sob responsabilidade da Profª Drª Eliana Lucia Ferreira pesquisadora e estudiosa do tema.

A motivação primordial para a criação da confederação estava ligada à necessidade de democratização do acesso às ações em prol da dança em cadeira de rodas para os grupos praticantes da modalidade espalhados pelo país. No Brasil a dança em cadeira de rodas já vinha se desenvolvendo desde o final dos anos 80, impulsionada em especial por iniciativas de grupos internacionais vinculados à UNESCO.

A dança esportiva internacional em cadeira de rodas nasceu na década de 60 na Europa, onde ainda é bastante praticada, popular e conceituada e teve sua primeira competição internacional no ano de 1977 na Suécia. A dança caracteriza-se principalmente pela formação de duplas de dançarinos, onde o casal é composto por um componente com deficiência física dançando em uma cadeira de rodas e um componente sem deficiência dançando em pé, ao ritmo de músicas de dança de salão.

No mundo, a dança esportiva em cadeira de rodas no mundo está sob o comando do WDSC (Wheelchair Dance Sport Committee) do IPC (Comitê Paraolímpico Internacional). Atualmente mais de 40 países estão registrados no IPC-WDSC, dentre eles o Brasil. A dança em cadeira de rodas é um esporte paraolímpico, mas ainda não está inclusa nos Jogos Paraolímpicos.

Desde sua criação a CBDCR realiza eventos com o intuito de difundir a dança em cadeira de rodas. Anualmente são realizados o Campeonato e Mostra de Dança em Cadeira de Rodas para promover e fortalecer o movimento, com a participação de grupos filiados à CBDCR que se empenham na disputa pelas melhores colocações no campeonato. Com isso, o esporte tem se difundido cada vez mais, ganhando mais adeptos e popularidade.

A prática da dança e seus benefícios

Com a prática da dança em cadeira de rodas no Brasil e no mundo, ampliou-se as possibilidades de inclusão para as pessoas com deficiência. Entre os inúmeros benefícios que o esporte traz para as pessoas com deficiência estão a melhora da aptidão física, ganho de independência e autoconfiança para realização das atividades diárias, desenvolvimento sadio da competitividade e superação dos limites com relação aos outros competidores.

 Para se chegar a situação atual, houve esforços de muitas pessoas e áreas do conhecimento propiciando um avanço no conhecimento sobre deficiências, o reconhecimento dos direitos humanos, mudanças sócio-políticas em diferentes países. Desta forma, muitas companhias de dança utilizam a dança como uma poderosa ferramenta de inclusão social.


Rua Benedito Sérvulo Santana, 501 - sala 02 - Bairro Vila Lavínia Cep: 08735-430 Mogi das Cruzes-SP Telefone: (83) 998448156